4 sentimentos que prejudicam sua preparação

Sentimentos nos concursos PMBA

Para um candidato ter sucesso em um concurso público, principalmente um concurso policial – com uma concorrência alta como no CFO PMBA e o CFSd PMBA – é preciso não só ter bons livros e materiais, mas, principalmente, uma mentalidade preparada para escalar a muralha da preparação.

A verdade é que diferença entre o sucesso e o fracasso em um concurso está na quantidade de decisões corretas que você tomou no tempo que teve para se preparar. Há quem consiga produzir muito em pouco tempo, há quem produza pouquíssimo tendo como ocupação apenas estudar para o concurso.

Para ser um policial você não precisa contar com a sorte, você precisa decidir superar obstáculos (psicológicos, sociais, familiares e até físicos). Neste artigo mostro 4 sentimentos que podem prejudicar imensamente a sua preparação. Elementos emocionais que não fazem parte do repertório do candidato que decide alcançar a aprovação. Em breve, darei dicas mostrando o que fiz e faço para superar esses “inimigos” (por agora, basta que você detecte, ou não, eles em você):

Ansiedade

A ansiedade pode ser entendida como uma aflição ou angústia causada por algum tipo de incerteza – é quando o indivíduo está se sentindo incompleto.

Ao mesmo tempo que a ansiedade pode lhe levar a agir, buscando sanar essa incompletude, a ansiedade em excesso faz exatamente o contrário, impedindo que você aja para resolver os seus problemas.

(Concurseiros costumam ficar ansiosos enquanto esperam abertura de inscrições, resultado das etapas etc).

Preguiça

A preguiça é a falta de disposição para agir ou fazer qualquer coisa. A preguiça pode ter origem física ou psicológica, e geralmente se apresenta quando julgamos aquilo que precisa ser feito como algo oneroso ou enfadonho.

O sujeito preguiçoso é aquele que tem consciência da sua necessidade de agir, mas escolhe se manter em estado de letargia.

O Livro do Concurseiro Policial

Tédio

O tédio é uma sensação de vazio, mas é diferente da preguiça e do cansaço. Quando estamos entediados sentimos repulsa de qualquer possibilidade de ação.

Com tédio, o indivíduo até quer agir, mas não consegue se dedicar à atividade. O tédio aparece quando não temos estímulos. O pior é que simplesmente pensar que estamos entediados já aumenta a quantidade de tédio que sentimos.

Medo

O medo é uma reação instintiva. É um estado de insegurança sentida com a iminência de que ocorrerá algo que devemos evitar para não sofrermos perdas ou sofrimentos.

Sentimos medo quando há um perigo real ou imaginário. Há medos úteis: o medo de ser atacado por um cão feroz, por exemplo, que nos faz correr. Mas há medos de falsos perigos: o medo de uma sombra que se parece com um monstro imaginário, por exemplo.

Embora seja muitas vezes necessário, o medo causa sofrimento quando mal dosado.

***

[Aguarde o próximo artigo, onde mostrarei medidas práticas para lidar com esses sentimentos]